Arquivo | design RSS feed for this section

meus desejos urbanos…

30 jan

DSC00651DSC00654

saindo do atelier e despregando meus desenhos do papel!

conforme o prometido nosso coletivo de dois inaugurado com a intervenção eu, passarinho agora possue um blog!

http://desejosurbanos.wordpress.com/

com direito ao filminho lindo do querido Cinema de Rua.

hoje fizemos a última revoada no metro sumaré….

Conheçam e participem!

DSC00298DSC00299


eles também amam…

16 jan

Untitled-2
o pedido foi: uma gravurinha para acompanhar um convite de casamento de duas pessoas muito especiais com um relacionamento bacana e uma filhotinha linda e feliz.

ah! e sem cair na temática noivinha com véu, mas algo que simboliza-se amor, carinho, elo, parceria, vida junta…  decidimos fazer casais de animais.  algumas colagens e desenhos depois… os noivos escolheram uma que simbolizava o poema escolhido para o convite:

“O amor é grande e cabe nesta janela sobre o mar.

O mar é grande e cabe na cama e no colchão de amar.

O amor é grande e cabe no breve espaço de beijar.”

                                    Carlos Drummond de Andrade

DSC00649

escolheram o casal de elefantes, que foi trabalhado até chegar no que eles queriam (não está aqui no blog).

ps: os noivos são bem magrinhos, e segundo comentários bem irônicos: foi por isso que não tiveram medo de colocar elefantes…

DSC00646

um dia desses uma amiga viu na minha mesa esse material, se encantou e pediu para posta-lo. então, aqui está!

espero que gostem…

Untitled-1

feliz, feliz, feliz ano novo…

3 jan

DSC00576

segundo todos os atrólogos do mundo, após 3 anos de muitas dificuldades onde fomos desafiados em todos os aspectos da vida (carreira, $$, relacionamentos, saúde, amor etc) e tivemos que reconstruir nossa própria identidade,  finalmente os librianos entram numa fase com menos terremotos cotidianos!!!

posso afirmar: foi muito, muito duro mesmo!

o tal saturno não me poupou de absolutamente N-A-D-I-C-A de nada!

a crise foi tão profunda que abandonei tudo por aqui e embarquei pra roma sem nenhum conhecido, sem falar italiano e sem ter onde ficar.

me vi sozinha pela primeira vez.

me tornei generosa e recebi mais generosidade ainda!

fiz amigos de uma vida.

cuidei e fui cuidada por estranhos que se tornaram minha família.

percebi Deus ao meu lado olhando sempre por mim.

me senti livre, o mais incrível e amendrontador dos sentimentos.

me reconstruí forte e segura de quem sou eu.

também amei, amor muito além das paixões…

então voltei e fui surpreendida na dor que é voltar outra pessoa para o lugar onde habitam  seus antigos vícios e medos, e todos esperam atitudes e posturas daquela que eu não era mais eu.

inúmeros corações foram partidos, atropelados, esfacelados.

muitos quilos a menos e outros tantos desencontros comigo mesma…

mas também existiram colos amigos cheios de palavras sábias, graças a uma das minhas maiores mudanças : agora permito que os outros me consolem.

pouco a pouco tudo se tornou meu de novo e fui me sentindo em casa novamente.

meu amor pegou um avião na itália.

ainda tem tanto pra fazer, tanto a melhorar, tanto a decidir, tanto a superar…

mas é verão.

os dias são ensolarados e o mar calmo e cristalino.

o sol cai devagar no poente e me sinto finalmente em férias.

QUE VENHA 2013, FAZ 3 ANOS TE ESPERO!!

DSC00573

eu passarinho

20 set

POEMINHA DO CONTRA

Todos estes que aí estão
Atravancando o meu caminho,
Eles passarão.
Eu passarinho!

mario quintana

faz um bom tempo que venho pensando em arte na cidade.

vendo tantas coisas legais já feitas ( lambe-lambe, grafite, miniroteiros da Laura Guimarães, painéis, adesivos etc) dava um desânimo pensar se ainda poderia criar algo bacana…  foi assim que durante muito tempo (mais de um ano) fiquei matutando sempre atenta aos lugares que passava, as pessoas que passavam por mim, os olhares, os cansaços, os atrasos…  paralelamente a pri ballarin também nutria essa vontade de sair do papel, da máquinha fotográfica, do estudio ou atelier e ganhar as ruas.

sempre que falávamos dessa vontade ou de algo que havíamos visto de interessante, sempre terminávamos com um…

IMAGINA SE esse túnel estivesse coberto de nuvens ou  IMAGINA SE essa calçada fosse estampada de chita ou  IMAGINA SE o toldo do bar tivesse uma chuva feita de cristais ou  IMAGINA SE parassem o transito com estátuas de elefantes cor de rosa em tamanho natura!

desse jogo lúdico, saiu: IMAGINA SE o viaduto da dr. arnaldo fosse lotado de pássaros coloridos.  Sempre que passo por lá vejo o céu, o horizonte longe, longe e penso onde estão os pássaros?

percebemos que daí poderia sair algo interessante e colocamos os pensamentos para realiza-lo dentro dos nossos limites econômicos e de tempo.

a principio queríamos miniaturas de pássaros artificiais  (caros, pequenos e difíceis de fixar…),  pensamos em adesivos (caro e acabava com a ideia de 3D) depois em lambe -lambe.  nenhuma das soluções abarcava todas as nossas restrições e não queríamos perder a delicadeza, o encantamento de se deparar com um passarinho e por um momento pensar que esse poderia ser verdadeiro…  no final produzimos pássaros feitos de papelão encontrado nas ruas, fizemos moldes, recortamos e pintamos um a um. testamos  para ver como melhor fixa-los.

por fim, espalhamos todos na região do metrô sumaré e viaduto dr. arnaldo em duas manhãs ensolaradas e secas.

imaginávamos que a limpeza do metrô talvez jogasse os passarinhos no lixo, mas para nossa surpresa as pessoas pouco a pouco os arrancaram e levaram para casa!

EU PASSARINHO foi a primeira e inaugural  intervenção urbana do nosso coletivo DESEJOS URBANOS, que não é político, não é social, não é manifesto…. é poesia visual.  queremos  provocar e descobrir um novo olhar sobre o dia a dia da cidade.

logo mais blog, fotos,novidades e parcerias!

espero que gostem!

ps. fotos priscilla ballarin.

as minhas meninas…

27 jun

Olha as minhas meninas
As minhas meninas
Pra onde é que elas vão
Se já saem sozinhas
As notas da minha canção

Vão as minhas meninas
Levando destinos
Tão iluminados de sim
Passam por mim
E embaraçam as linhas
Da minha mão

As meninas são minhas
Só minhas na minha ilusão
Na canção cristalina
Da mina da imaginação
Pode o tempo
Marcar seus caminhos

Nas faces
Com as linhas
Das noites de não
E a solidão
Maltratar as meninas
As minhas não

As meninas são minhas
Só minhas
As minhas meninas
Do meu coração

As Minhas Meninas
Chico Buarque

luisas, anas, elizas, luanas, alices…  obrigada!

Ah! Aceitamos encomendas por precinhos irresistiveis…

arroz, feijoada e desenhos…

16 maio

alguns trabalhos aparecem, até começam mas acabam apenas no rascunho… muitos são os motivos desde dinheiro, mudanças de concepção, indecisão do cliente.

na semana passada aconteceu com um trabalho que “já tinha subido no telhado ” fazia um tempinho e nem saiu dos rascunhos e testes.

este trabalho tinha um pé na cozinha interiorana.

desenhos com cheiro de fumaça de fogão a lenha, fruteiras fartas, chaleiras assobiando e compoteiras cheias de doces!

e assim mergulhei nos dias ensolarados de férias, de avos, de mães e crianças correndo descalças!

e me perdi tentando captar cada um dos objetos como velhos tios, cheios de histórias, sorrisos e um pouco de cansaço.

sentir a caneca esquentando a mão e o cheiro de café manhã de inverno…

4 jan

” FELICIDADE  É NENHUM ADULTO PEGAR NAS BOCHECHAS DA GENTE”

                                                      Dicionário de Humor Infantil de Pedro Bloch
 

O Studio Prompt  pensando em idéias para seus cartões de final de ano sem os “votos de feliz natal e próspero ano novo” tradicionais, montou um pequeno projetinho muito interessante… Buscando novos rumos percebeu que  todas as mensagens são desejos de felicidade.

Então, convidou amigos (entre eles euzinha!) para ilustrar seus cartões tentando responder a seguinte questão:

O que é felicidade para você?

Aqui em casa, as imagens que essa simples pergunta gerou já se mostraram muito mais interessantes do que as de bonecos de neve com cenoura fazendo as vezes de nariz!

E numa  manhã desses dias estranhos de frio em pleno dezembro tropical, passei  meu café e peguei a caneca.

Pensei: – Nossa que combinação!  Manhã fria, cheiro de café  e mãos aquecidas pela caneca… que felicidade…

Aí, bom… Já estava inspirada!

felicidade por eliza freire

A experiência foi muito bacana e estou descobrindo o quanto  é enriquecedor trabalhar em projetos que englobem outros artistas produzindo paralelamente sobre o mesmo tema ( veja mais no blog do studio prompt ).  

Veja os outros lindos cartões produzidos!

felicidade por fabio bolzan

felicidade por joana salles

felicidade por priscilla ballarin

felicidade por tatiana karpischek