Arquivo | cafés RSS feed for this section

arroz, feijoada e desenhos…

16 maio

alguns trabalhos aparecem, até começam mas acabam apenas no rascunho… muitos são os motivos desde dinheiro, mudanças de concepção, indecisão do cliente.

na semana passada aconteceu com um trabalho que “já tinha subido no telhado ” fazia um tempinho e nem saiu dos rascunhos e testes.

este trabalho tinha um pé na cozinha interiorana.

desenhos com cheiro de fumaça de fogão a lenha, fruteiras fartas, chaleiras assobiando e compoteiras cheias de doces!

e assim mergulhei nos dias ensolarados de férias, de avos, de mães e crianças correndo descalças!

e me perdi tentando captar cada um dos objetos como velhos tios, cheios de histórias, sorrisos e um pouco de cansaço.

Anúncios

sentir a caneca esquentando a mão e o cheiro de café manhã de inverno…

4 jan

” FELICIDADE  É NENHUM ADULTO PEGAR NAS BOCHECHAS DA GENTE”

                                                      Dicionário de Humor Infantil de Pedro Bloch
 

O Studio Prompt  pensando em idéias para seus cartões de final de ano sem os “votos de feliz natal e próspero ano novo” tradicionais, montou um pequeno projetinho muito interessante… Buscando novos rumos percebeu que  todas as mensagens são desejos de felicidade.

Então, convidou amigos (entre eles euzinha!) para ilustrar seus cartões tentando responder a seguinte questão:

O que é felicidade para você?

Aqui em casa, as imagens que essa simples pergunta gerou já se mostraram muito mais interessantes do que as de bonecos de neve com cenoura fazendo as vezes de nariz!

E numa  manhã desses dias estranhos de frio em pleno dezembro tropical, passei  meu café e peguei a caneca.

Pensei: – Nossa que combinação!  Manhã fria, cheiro de café  e mãos aquecidas pela caneca… que felicidade…

Aí, bom… Já estava inspirada!

felicidade por eliza freire

A experiência foi muito bacana e estou descobrindo o quanto  é enriquecedor trabalhar em projetos que englobem outros artistas produzindo paralelamente sobre o mesmo tema ( veja mais no blog do studio prompt ).  

Veja os outros lindos cartões produzidos!

felicidade por fabio bolzan

felicidade por joana salles

felicidade por priscilla ballarin

felicidade por tatiana karpischek

me fizeram enxergar coisas belíssimas esta manhã…

10 dez

flyer finalizado

Durante o trabalho que fiz com a Pri (já escrito no post anterior) ocorreu um dos momentos mais emocionantes da minha carreira como ilustradora…

Marcamos uma reunião para fazermos o briefing dos desenhos da peça de teatro.
Sábado de manhã, padaria lotada e nós duas sentadas numa mesinha, conversando muito.

Conversas malucas, porque brainstorm é assim!!! Sai cada loucura!!

Discutíamos como representar as mudanças físicas da adolescência.

O corpo crescendo desproporcional e de uma hora para outra, quem sabe uma menina gigante em seu próprio quarto pequeno? Representaria essa inadequação, esse sufocamento de não se encaixar naquilo que sempre havia antes, inclusive seu corpo?

esboços iniciais

aquarela em processo

estudo com trabalho digital feito


E se desenhássemos uma menina correndo com uma bolsa aberta de onde caíssem objetos infantis deixando uma trilha? Como se ela abandonasse a vida infantil, que se transformaria em caminho já percorrido… A bolsa vazia simbolizaria os novos conhecimentos da adolescência que serão adquiridos ainda? A menina correndo porque adolescente sempre tem pressa?

E o fato da adolescência ser um momento de estranhamento e transição, de perspectivas desconhecidas? Talvez uma cama numa praia? Se tem o estranhamento de ver a cama nesse cenário descabido? E a imensidão e perspectiva do futuro através do barco no horizonte do mar? Um barco de papel feito por crianças mas que também significa este” sair para navegar, sair para o desconhecido…”

esboços iniciais

aquarela em processo

estudo com trabalho digital feito


E todos os mil pensamentos de uma adolescente buscando construir as suas próprias idéias? Quem sabe um rosto onde os olhos sejam janelas de salas e quartos habitados, os brincos de gaiolas abertas e ninhos de pássaros dentro da orelha, portas de diferentes trancas no pescoço, cabelos que se transformam em ondas com navios prestes a naufragar mas também seriam montanhas onde um menino planta árvores… Um rosto de vidas paralelas sendo vividas, de experiencias diversas e possibilidades infinitas… Será?

e assim ia…
Nós duas na maior empolgação, até que uma senhora de seus 50 anos se levantou e veio lentamente desviando das pessoas.

Parou em frente a nossa mesa e disse:

– Eu estou indo embora mas não pude deixar de vir falar com vocês! A reunião de vocês é muito interessante! Muito boa!  Vim agradecer porque vocês me fizeram enxergar coisas belíssimas esta manhã! Muito obrigada!

Então ela se virou e saiu devagar, tomando muito cuidado e com sua bengala batendo suavemente nos móveis da padaria.
Ela era cega.

sombras de uma casa que acorda cedo…

17 nov

bom dia...

minha cozinha…

15 nov

minha cozinha pronta para o jantar...

na primeira vista foi o que mais me assustou na petit maison!

a cozinha tinha todos rejuntes pretos e a pia mofada que por mais que esfregasse continuavam dando esse aspecto de imundice geral!!!

com pouco $$, quebrando a cabeça e usando minha criatividade e energia iniciei eu mesma esse “TAPA” para tornar minha cozinha minimamente habitável.

rejuntes negros e pia mofada no inicio...

milagre do rejunte branco!

pintando rejuntes...

Preenchi buracos e falhas com massa, lixei e pintei com muitas demãos todos os rejuntes com tinta especial.  Depois lixei e limpei todos os borrados nos azulejo.  Deu um muito trabalho, mas o efeito foi SURPREENDENTE como podem ver nas fotos!

pia branquinha sendo usada!

pastilhas na pia mofada...

Procurei pias baratas e prontas, porem o menor modelo era sempre 1,20m e a lá cabia apenas 1,10m!

na pia mofadissima bem seca apliquei massa plástica e coloquei pastilhas brancas (que haviam sobrado de uma antiga obra) que depois foram rejuntadas.

AH! o spot trocado por um branquinho novo.

mega super hiper  faxina e quando vi estava morta mas com uma cozinha bem mais branquinha do que havia imaginado!

Decidi colocar as prateleiras abertas para trazer cor a cozinha expondo minhas quinquilharias amadas e divertidas.

FINALMENTE MINHA COZINHA!!

Como poucas foram as coisas novas nesse apezito…

1. os espelhos de tomada e luz foram encapados com contact de bolinhas.

2. as prateleiras  velhas eram do quarto das crianças na casa de campo da tia kika que foram pintadas de vermelho por mim.

3. o saleiro e potes de temperos eram da minha mãe assim como o fogão.

4.  geladeira, canecas e xicaras são novos!

5.  quadrinho de casinhas feito por mim a mais de 10 anos!

6. tapete que dá um toque de felicidade eh da tokstok.

7. copos muito antigos feitos pelo meu avô são garrafas de cerveja cortadas.

8. jarrinha de prata foi presente da mãe que por sua vez ganhou de presente da casamento.

9. coqueteleira que ganhei de uma bêbada em um bar com a Tati Nolla!

10. lata de biscoito antiga da casa da minha vó!

11. cafeiteira moka italiana foi presente de um amor italiano…

enfim meu jantar!

casa mia picollina…

15 out

cama e sofá.. nesse sábado chuvoso estudo o arranjo de quadros sobre ela...

....mini
........micro
.............petit
..................picollina
...........................enfim, moro numa casa versão pocket 

mas que pouco a pouco
vai se transformando no meu lar
e vou contaminando meu espaço com as minhas lembranças...

café da manhã de sábado em companhia do Walmor, meu pingüim de geladeira...

passarinho madrileño vigia meus livros...

minhas cores!

almofadas coloridas...

comprei um espelho em promoção...

casas passadas…

22 jul

depois da correria de trabalho, finalmente sobraram alguns dias para tentar montar minha casinha…  lembrei das minhas casas passadas, da minha casa italiana, da casa da minha avó…

.

………………………………..saudades de uma casa italiana…………………………………

.

saudades da minha casa distante,

do outro lado do atlântico.

do seu cheiro de pasta no final do dia,

das conversas ao redor da mesa,

das flores artificiais pendendo entre os temperos…

saudades da minha casa distante,

das manhãs silenciosas onde o sol entrava pela terrazza

e invadia sonolento a sala,

de fazer o café com preguiça,

de dar bom dia aos gatos e cachorro

sinto saudades da minha casa distante,

dos pequenos detalhes espalhados pelos cantinhos,

pelas plantas e flores que renascem todas no primeiro dia de primavera

como se explodissem de felicidade depois do angustiante inverno

sinto saudades da minha casa distante,

das vozes animadas ecoando pela sala,

dos cuidados,

de mim,

da paz de estar só estando com tantos

assim imensa a saudade de tanto, tanto que foi vivido de tanto, tanto ser feliz…