Tag Archives: vento

perseguidora da luz

2 jun

 vem silenciosa, suave e dourada no nascer do sol,

atravessa a persiana deixando tudo listado,

 traz um cheiro de mar, de sonhos da infância em praias distantes,

outras vem gelada umidecendo os vidros se desfazendo em gotas.

nas tardes tingem tudo de rosa,

me torna uma eterna sonolenta nessa melancólica despedida.

E me torno adolescente e sonho.

luz lavada, pesada sobre a cidade alva.

ou triste, magoada escorrendo garoa pelas vidraças…

esperançosa em arco-iris no ultimo dia do ano!

em segredo, quando sou quase adulta, abro a janela para luz da noite.

hipnotizante, a cidade parece emanar a luz que absorveu durante o dia.

e a lua aparece, linda e soberana

e então sou mulher

e  a mulher dorme

e espera o amanhecer

e espera a tarde

e espera a noite

sempre olhando pela janela

desenhos e parceria…

29 nov


Durante muito tempo da minha vida procurei um “mestre”, alguém com que me identificasse artisticamente.

Ele orientaria meu trabalho e eu estaria sempre encantada pelo dele.

Ele seria duro, mas eu aprenderia muito…

Procurei durante a faculdade e depois pela vida e trabalhos mas nunca encontrei.

Talvez porque realmente eu seja muito critica, talvez transite entre diferentes mundos e temas, talvez por medo de me entregar tanto…

Ou simplesmente porque não tenho realmente o perfil de alguém que tem um mestre!

Mas o tempo passou e vejo que, embora não tenha tido um “mestre”, minha vida foi pautada por trocas riquíssimas com amigos e desconhecidos.

Penso que não é um mestre que devo procurar mas sim uma bela parceria! mas parceria é coisa complicada…

Já trabalhei com muita, muita gente!!!  Das mais loucas, as mais falsas, das mais carentes, das mais incompetentes e eis que descubro algumas que dão realmente certo!

Uma delas é especialmente querida, minha amiga Pri Ballarin!

Amo o trabalho dela, confio 100% no seu bom gosto, seriedade e honestidade e se não bastasse ainda temos uma dinâmica profissional muito afinada!

Estas são algumas ilustrações que fizemos juntas para uma peça de teatro sobre o estranhamento de uma menina crescendo…

Eu adorei e sem falsa modéstia achei que ficaram lindas!

Esta parceria está apenas começando, muitos desenhos ainda virão…

PS: estamos abertas a propostas de trabalho! Pode ser ilustrações de livros e apostilas,cartaz de teatro, de cartão natalino da sua empresa, calendário, etc, etc…

pelo dia de ontem

13 jun

equilibristas entre o céu e o abismo

por dias e dias

no exercício diário de não

nos deixarmos despencar.

 

 

fomos felizes


chuvas, garoas e torós

9 jun

nessa manhã chorosa de frio e fina garoa,  lembrei outras chuvas passadas e as trouxe vivas neste post…

aqui da janela de minha casa olho sua chuva cair.

as gotas estouram na calçada e salpicam apressadas meias e sapatos.

são tantos os respingos, que parece chover ao contrário!

dançamos tentando nos cobrir e escapar secos,

ilesos,

imaculados.

entre passos em fuga contemplo mundos particulares intransponíveis,

alheios: os enxergo andando embaixo de folhas de jornal, dos casacos ensopados…

quando se abre um guarda chuva, é um mundo que se abre.

eu vejo, tímidos espiarem de soslaio,

e segurando a respiração espremem-se pela fenda aberta e adentram seus esconderijos secretos.

ainda ouço o alívio do corpo que se liberta ocupando todo o espaço.

cada um em seu refúgio íntimo,

refrescante em sua ingenuidade.

cada um em sua total solidão.

sinusite companheira…

9 jun

ilustração de eliza freire para o livro mulherzinhas

dias frios de ventos loucos e muito muito trabalho…

e uma sinusite que insisti em me fazer companhia!

tanta coisa para fazer e tanta moleza para levantar da minha cama…

quem sabe eu escape e consiga cortar os cabelos ainda essa semana…?

enfim, começou o inverno…

27 maio

hoje anoiteceu cedo

nem mesmo o relógio batia as seis horas

coloquei meu casaco com capuz

andei rápido pelas ruas cheias de carros parados

faróis brancos e vermelhos pintavam a noite precoce

o vento frio me empurrava à casa

fui serena sabendo que o banho quente me esperava

uma voz distante me disse : boa noite querida.

relembrei com doçura de uma saudade.

enfim, começou o inverno…